arte-blog-instituto

Outubro Rosa: quais os principais sintomas e tratamentos do câncer de mama?

Com a chegada do Outubro Rosa, o câncer de mama volta ao centro das atenções. E os dados preocupam: 60 mil novos casos todos os anos apenas no Brasil. Entre mulheres, é o mais comum no mundo e segundo mais comum no Brasil e representa cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. Mas um diagnóstico de câncer de mama não é o fim. Diagnosticado precocemente, as chances de cura são de 95%.

Essa doença é relativamente rara antes dos 35 anos. Acima dessa idade, os casos crescem progressivamente e tem um aumento drástico após os 50 anos. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros são mais lentos. A maioria tem um bom prognóstico, o que ajuda no processo de cura.

Para ajudar na conscientização, a campanha Outubro Rosa busca, todos os anos, atingir os mais diversos meios para uma divulgação eficiente. O problema é que, mesmo com grande visibilidade, a campanha ainda não é eficaz.

Mesmo a mamografia sendo essencial a partir dos 40 anos, 3,8 milhões de mulheres entre 50 e 69 anos nunca fizeram o exame, segundo dados da PNS (Pesquisa Nacional de Saúde). Isso é um número muito alto. Uma das intenções da campanha é aumentar o número de mulheres que buscam pela mamografia, além de visitar o médico ginecologista anualmente como maior forma de detecção precoce e assertiva, o que torna-se também uma forma de prevenção secundária.

Alguns outros exames também são necessário quando é encontrado um nódulo na região mamária:

  • Biópsia: para análise do nódulo
  • Ultrassonografia de mama: quando não é possível distinguir o cisto do nódulo
  • Ressonância Magnética: é o exame que transforma o resultado em imagens

 

PREVENÇÃO

É difícil falar de prevenção quando se trata de uma doença como o câncer. É uma doença que pode surgir do nada, mesmo levando em conta todas as possibilidades de se prevenir. Mas, para diminuir a chance do desenvolvimento de um câncer mamário, alguns cuidados na fase fértil e na menopausa devem ser tomados:

  • Boa alimentação: evitar gordura animal e privilegiar verduras que contenham princípios antiproliferativos, como brócolis e repolho;
  • Fazer exercícios físicos regularmente;
  • Evitar fumar e bebidas alcoólicas;
  • Amamentar os filhos por um longo período;
  • Mulheres na menopausa devem realizar a reposição hormonal sob orientação e acompanhamento do seu mé

Mulheres com histórico significativo de câncer de mama na família podem realizar um teste para análise de mutações genéticas que predispõe a doença. Caso o risco de desenvolvimento do câncer de mama seja muito alto, é possível considerar em casos raros a mastectomia profilática, que é a remoção da mama antes do aparecimento da doença.

SINTOMAS

Segundo o Ministério da Saúde, o sintoma mais comum ainda é o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, porém duro e irregular. Mas não é uma certeza. Alguns nódulos são brandos e definidos. Alguns outros sintomas:

  • Edema cutâneo (na pele), semelhante à casca de laranja;
  • Retração cutânea;
  • Dor;
  • Inversão do mamilo;
  • Assimetria nas mamas;
  • Hiperemia;
  • Descamação ou ulceração do mamilo;
  • Secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea. A secreção associada ao câncer geralmente é transparente, podendo ser rosada ou avermelhada devido à presença de glóbulos vermelhos. Podem também surgir linfonodos palpáveis na axila.

Esses são sinais que devem ser investigados e merecem atenção da mulher. Nada impede que tais sintomas estejam relacionados a qualquer outra doença benigna. Porém, a atenção feminina em relação ao corpo é extremamente necessária.

TRATAMENTO

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde), o tratamento do câncer de mama pode variar muito dependendo do tipo do nódulo. As formas mais comuns são:

  • Quimioterapia: tratamento que utiliza medicamentos para destruir as células doentes que formam um tumor. Estes medicamentos se misturam com o sangue e são levados a todas as partes do corpo, destruindo as células doentes que estão formando o tumor e impedindo, também, que elas se espalhem pelo corpo.
  • Radioterapia: é um tratamento no qual se utilizam radiações ionizantes (raio X, por exemplo) para destruir um tumor ou impedir que suas células aumentem. Estas radiações não são vistas e durante a aplicação o paciente não sente nada. A radioterapia pode ser usada em combinação com a quimioterapia ou outros tratamentos.
  • Hormonoterapia: a maioria dos tipos de terapia hormonal diminui os níveis de estrogênio ou impede o estrogênio de atuar sobre as células cancerígenas da mama. Esse medicamento bloqueia os receptores de estrogênio nas células do câncer de mama.
  • Cirurgia parcial: retirada apenas do tumor, quando há a possibilidade.
  • Mastectomia: procedimento cirúrgico para a remoção de uma ou ambas as mamas.

MITOS

Existem alguns mitos que assustam as mulheres quando o assunto é o câncer de mama e o desenvolvimento da doença. Listamos aqui alguns deles:

  • Agrotóxicos nos alimentos.
    Não existe associação comprovada entre uso de agrotóxicos e câncer de mama.
  • Uso de antitranspirantes e uso de sutiãs com suporte metálico.
    Correntes disparadas pela internet disseminaram rumores de que o uso de antitranspirantes causa câncer de mama. Mais recentemente, os sutiãs com suportes metálicos foram alvo de outra corrente. Não existem evidências de que desodorantes e sutiãs causem câncer de mama.
  • Ativistas contrários ao aborto disseminaram a ideia de que o procedimento aumenta o risco de câncer de mama, o que não é verdade. Abortos espontâneos também não elevam o risco de ter câncer de mama;
  • Implantes de silicone.
    Implantes de silicone formam cicatriz na mama e podem dificultar a detecção precoce do tumor, bem como a visualização do tecido mamário nas incidências padrões da mamografia. Contudo, não aumentam o risco de câncer.

A melhor forma de prevenção ainda é a informação. Entender que visitas rotineiras ao ginecologista e exames anuais são necessários pode salvar vidas. Repasse essas informações a todas mulheres que você conhece. Só assim conseguiremos diminuir o número de casos fatais da doença.

 

Fontes: Ministério da Saúde

INCA – Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende agora seu exame!

O Instituto da Imagem

Fachada do Instituto da Imagem

O Instituto da Imagem é uma Clínica de Diagnóstico Médico por Imagem que atende as cidades de Sumaré, Hortolândia, Nova Odessa, Monte Mor, Americana e a região metropolitana de Campinas.

Ver mais
Horario
Horários de Atendimento
  • Segunda: 07:00 - 19:00
  • Terça: 07:00 - 19:00
  • Quarta: 07:00 - 19:00
  • Quinta: 07:00 - 19:00
  • Sexta: 07:00 - 19:00
  • Sábado: 07:00 - 12:00
Localização
Localização

Pç. Manoel de Vasconcellos, 618 (Praça das Bandeiras)
Sumaré - SP - CEP:13170-150

Rota Google Maps Rota pelo Waze